o céu beija o sol, dia após dia,
e a lua nova,
a primeira das quatro, as noturnas quatro-luas,
ri-se escondida na ramagem…

– e o verso nu chora! –

Print Friendly, PDF & Email